5 de agosto de 2009

Formas de amar

Que amar é sofrer não é novidade para ninguém,ninguém mesmo... porque quando me refiro ao amor,estou falando de qualquer variação desse amar e isso se aprende desde pequeno. A partir do momento que você tem os seus sei lá, 7 anos e ganha um cachorro/gato/peixe/porco/pássaro/coelho/lagartixa/outros o qual batiza carinhosamente com um nome de dinossauro do tipo Rex, saí por aí com ele embaixo do braço dizendo que ele é seu, somente seu e não deixa ninguém pegar, e sim, eu falo isso por experiência própria. E eis que você se apega ao seu bichinho, tudo é lindo e maravilhoso, até o dia em que subitamente... ele morre.Se você for uma pessoa normal,com certeza você irá ficar bastante triste. Se você for anormal também, e sabe por quê? Porque você o amava.Tanto é que a partir daquele dia você promete nunca mais criar nada na vida para não passar pela mesma situação. Doce ilusão.




Outro tipo de amor é o amor que você sente pelos amigos. Geralmente aqueles que brincavam de barbie com você quando pivetes de "menina pega menino" ou até mesmo de tazo ou bafo. Novamente tudo é lindo e maravilhoso até o dia em que sua melhor amiga,agora com 16 anos, arranja um namorado e esquece de sua vida pré "amordasuavida" te abandonando em pleno sábado à noite para sair com o dito cujo. E é a partir daquele dia que você promete nunca mais falar com ela, mas não consegue. E sabe por quê? Porque você a ama e sabe que isso é muito pouco para acabar com uma amizade.



E já que já toquei no assunto, uma das formas de amar que mais dói talvez seja aquela que você sente por alguém em especial: Amor de namorados. É pedir para sofrer, fato! Não existe nada tão curioso quanto esse tipo de amor. Em 6,7,8 meses ele é o amor da sua vida,a pessoa que você mais ama do mundo. Quando o relacionamento acaba, essa mesma pessoa é a que você não quer ver mais nem pintada de ouro. Triste né? Mas isso só acontece quando o amor não era realmente amor.

Quando ele é recíproco, verdadeiro e forte desentendimentos podem ocorrer e que muitas vezes fazem ambas as partes sofrerem, mas não é preciso muito para perceberem que distantes um do outro elas são pessoas diferentes, mas que quando juntos formam um só. Infelizmente nem sempre é assim,ou seja,esteja preparado para sofrer se o susposto grande amor da sua vida te trocar por outro(a).Uma boa panela de brigadeiros deve resolver... Tudo bem que agora você será um rejeitado(a), gordo(a) e com espinhas, mas pelo menos isso te renderá umas boas doses de endorfina.




Por último, deixo para falar sobre o amor daqueles que te colocaram no mundo. Eu sei. Isso soou meio brega, mas nada mais é do que a verdade. Os pais são aqueles que (salvo exceções) você tem certeza que sempre estarão ao seu lado. Mas, como estou falando de amor, então ainda assim haverá a chance de sofrimento e isso ocorrerá provavelmente quando houver divergências quanto há alguma coisa, mas acredite: por pior que seja, a única certeza é que seus pais continuarão te amando. Até mesmo se você fizer aquela tatuagem gigante de uma caveirona com fogo fechando o braço inteiro... tá, talvez eles deixem de falar com você por um bom tempo... ou quem sabe pela vida inteira, mas acredite: continuarão te amando sim.



Sofrimentos à parte, o que todo mundo deve entender é que o segredo do amor é que o amor não tem segredo e que complicar o que já é complicado só gera mais complicação. Seja qual for a sua variação apenas ame, tal como se não houvesse amanhã...

Mariana Galvão

2 Comentários:

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

Hoje o post foi bem sentimental! As vezes agente sente necessidade de escrever algo mais amoroso! Tem dias que faço piadinha, mas tem dia que o outro lado também nos puxa, rss

Realmente é muito triste quando um animalzinho nosso morre. Agente se apega demais pq somos humanos.. e as vezes nosso amigo animal foi bem presente que qualquer namorada/pai/amigo. Isso é comum! Fico triste com a morte de seu REx.

:(

Postar um comentário

Deixe a sua opinião. Comente!